A tecnologia aliada ao futebol dentro e fora de campo

O futebol é o esporte mais popular do mundo de maneira inquestionável. No entanto, quando o assunto é tecnologia, não há dúvidas o quão conservadora esta atividade é, mesmo com avanços nítidos.

Hoje, por exemplo, o assunto do momento quando misturamos tecnologia e futebol é o uso do VAR (Video Assistant Referee, na sigla em inglês), que nada mais é do que o árbitro de vídeo. Para que ele fosse implementado, além de todo o tempo de pesquisa em torno de como sua utilização seria feita, o mundo futebolístico precisou ser “convencido” a ter esse “intruso” nas partidas.

Mas, claro, engana-se quem pensa que a tecnologia está presente apenas nos dias dos jogos. Portanto, o preparamos uma lista com algumas situações em que o futebol faz uso da modernidade e de aparatos tecnológicos.

Transmissão

Talvez o registro mais antigo de tecnologia no futebol seja nas transmissões. Primeiro, por meio do rádio, depois, pela TV. Hoje até o Facebook exibe jogos ao vivo e em qualidade excelente. Isso sem falar nos diversos serviços de streaming, como DAZN.

“Galvão?” (Imagem: Rede Globo)

Os grandes jogos e eventos chegam a ter mais de 60 câmeras espalhadas pelo gramado para fazer com que os espectadores não percam nenhum lance, nenhum detalhe. Além disso, os replays, que ora mostram os gols e lances bonitos, ora mostram os erros de arbitragem e falhas das equipes, ajudam demais não apenas quem acompanha o esporte, mas também quem trabalha com ele.

Quem nunca aguarda ansiosamente pelo Tira-Teima em lances de impedimento? Pois bem, agradeçam às transmissões de TV por isso.

Fantasy games

Os fantasy games viraram febre no futebol em todo o mundo. Aqui no Brasil o exemplo mais famoso é o Cartola FC, que te coloca como um dirigente de um clube tendo de escalar o seu time rodada a rodada do Campeonato Brasileiro. Esses jogos fazem uso de algoritimos e estatísticas dos jogadores reais para determinar o quanto eles valem e quantos pontos farão em cada uma das jornadas.

Interface do Cartola FC/ Imagem: Rede Globo/Divulgação

De certo modo, além de aumentar o engajamento do público com o esporte, estimula que ainda mais pessoas possam acompanhá-lo e se interessem por partidas que não sejam apenas aquelas em que o seu clube do coração está participando.

Chip na bola e Goal/No Goal

Uma das primeiras vezes em que a tecnologia foi utilizada dentro das partidas foi com o chip na bola e o programa Goal/ No Goal. Com esse dispositivo, é possível saber se a bola entrou totalmente na meta, o que pode determinar e infuenciar seriamente o resultado de um jogo.

Essa tecnologia foi implementada depois de uma falha grosseira na Copa do Mundo de 2010, quando um gol legítimo do meia Frank Lampard, da Inglaterra, não foi validado. A bola havia entrado totalmente no gol da Alemanha, adversária na ocasião, o que gerou a revolta dos jogadores do English Team e da crítica esportiva.

O programa, no entanto, não está presente em todas as grandes ligas do mundo, pois gera um alto custo para as organizações dos campeonatos.

Análise de Desempenho

Um clube de futebol de alto nível que não possuir um departamento de análise de desempenho certamente estará fadado ao fracasso, sem exageros. Com esse tipo de trabalho, as equipes conseguem, por meio de softwares, informações e estatísticas precisas sobre os adversários e sobre elas próprias. Os exemplos são mais variados e vão desde o número de gols de cabeça, de dentro da área ou de fora que um time faz, até para qual lado um goleiro pula mais na hora de defender um pênalti.

Ficha completa do goleiro Jan Oblak, do Atlético de Madrid (Imagem: O Analista de Futebol)

Com todos esses dados, o treinador pod